Artista é quem faz ??

Sempre tive a oportunidade de viajar muito, e sou bastante grato por isso.
Já conheci muitos dos grandes museus do mundo, Louvre em Paris, Reina Sophia em Madri, Tate Modern em Londres entre muitos outros.

Sempre gostei de arte, sou apreciador. Não sei ao certo, acho que é algo que nasce com você.
Já meu pai não é grande fã de arte moderna e abstrata; aprecia apenas os clássicos; e não era raro ele e meu irmão se entediarem nesses passeios.

Certa vez já meio sem paciência, diante de uma pintura de Jackson Pollock ele exclamou – Ah! Isso não é arte… até eu faço!

Em parte é verdade, muitas das obras expostas não são lá grande coisa, não passam de tintas jogadas ao léu, e alguns rabiscos. Diferente de obras como a “A Tarde de Domingo” de Seurat; expressão máxima do pontilhismo, onde a técnica e a precisão fazem toda a diferença.

Uma Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte - 1884, por Georges-Pierre Seurat

Pensei bastante a respeito. O que é arte? Como se mede a arte? Como podemos mensurar a criatividade? Tentei lembrar dos tempos de faculdade, das aulas de história da arte, mas nenhuma resposta me satisfazia.

Alguns dizem que arte tem de chocar as pessoas, despertar sentimentos. Outros dizem que deve ser uma nova abordagem de um tema antigo, e outros ainda dizem que arte tem de ser atemporal… difícil né?

Então percebi que a arte independe do artista; você pode pintar um quadro belíssimo em casa, isso é arte. Mesmo que não faça de você um artista. (é.. talvez..)

Pra ser artista é preciso além de produzir vender sua obra.
Produzir um quadro, uns rabiscos, uma fotografia, uma escultura enfim; tudo isso é muito fácil. Vender é que são elas.

Respondendo a pergunta:

Artista não é quem faz… artista é quem vende!

Paul Jackson Pollock